Conselho de Segurança se reúne novamente para debater Ucrânia BR

Conselho de Segurança se reúne novamente para debater Ucrânia

Encontro acontece na tarde desta segunda-feira; Secretário-Geral disse que Nações Unidas estão prontas para oferecer qualquer ajuda que possa levar a uma solução pacífica da situação.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Conselho de Segurança anunciou que vai se reunir na tarde desta segunda-feira para discutir novamente a situação na Ucrânia.

Os 15 integrantes do grupo já tinham se reunido no sábado para debater o assunto.

A ONU afirmou esta segunda-feira que está pronta para ajudar na mediação da crise política na Ucrânia.

A declaração foi feita pelo Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, durante entrevista coletiva em Genebra. Ele pediu a restauração da paz e apelou à Rússia que evite ações ou discursos que possam causar uma escalada das tensões.

Ban-Lavrov

Ban se reuniu com o ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov. Eles discutiram a crise na Ucrânia e a importância de se reduzir as tensões através de um diálogo construtivo e significativo.

O chefe da ONU disse que as Nações Unidas podem trabalhar com as autoridades russas e ucranianas para resolver a situação.

Mais cedo, em discurso no Conselho dos Direitos Humanos, Lavrov negou que seu país tenha invadido a Ucrânia enviando tropas para a região da Crimeia.

O ministro explicou que se trata de uma questão de defender os cidadãos russos na região e de garantir os direitos humanos, especialmente o direito à vida.

Lavrov afirmou que os soldados vão permanecer na região até que a situação política na Ucrânia esteja normalizada.

Jan Eliasson

Ban Ki-moon decidiu enviar seu vice, Jan Eliasson, à Ucrânia para analisar a situação no país. Ele disse que Eliasson já está em Kiev para conversar com autoridades ucranianas.

Ele mencionou algumas ideias que estão sendo debatidas para ajudar nesse sentido como a criação de uma missão de observadores ou de um grupo de contato, mas ainda é necessário um acordo entre as partes.

Fatos

Na Ucrânia, Eliasson vai apurar os fatos e depois informará o Secretário-Geral sobre os próximos passos que a ONU poderá tomar para ajudar a reduzir as tensões no país.

A Ucrânia tem registrado protestos violentos nos últimos meses e na semana passada, viu o Parlamento retirar o presidente Viktor Yanukovych do poder. Além disso, houve uma escalada das tensões na região da Crimeia.

Segundo as agências de notícias, tropas e veículos militares russos foram enviados para a área.

Tanto Eliasson, como Ban Ki-moon e o enviado especial do Secretário-Geral para a Ucrânia, Robert Serry, pediram a todos envolvidos na crise que mantenham a calma e que realizem um diálogo direto para evitar uma escalada da violência.