Embaixador de Cabo Verde quer Cplp mais ativa em torno de Estados-ilha

28 fevereiro 2014

Defesa de países insulares estará no topo da agenda do novo representante cabo-verdiano junto das Nações Unidas; Fernando Jorge Wahnon Ferreira apresentou credenciais ao Secretário-Geral.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral das Nações Unidas recebeu, esta sexta-feira, as cartas credenciais do embaixador de Cabo Verde junto da organização, Fernando Jorge Wahnon Ferreira.

Logo após o encontro, o diplomata de 59 anos, disse à Rádio ONU que a defesa dos Estados insulares será prioritária no seu mandato, uma questão que considerou que deverá ter mais envolvimento do bloco dos países lusófonos.

Problema

“Gostaria de realçar que esta também é uma questão que para além de Timor-Leste, temos a Guiné-Bissau e agora também temos a proposta da Guiné-Equatorial. Se uma parte substancial do grupo tem um problema, as questões serão discutidas e pensamos que podemos contar com o grupo global da Cplp nestas matérias que são relevantes para uma parte substancial do bloco.”

Wahnon Ferreira explicou que uma das razões da atenção imediata ao assunto é a realização da Conferência dos Pequenos Estados Insulares e Sustentabilidade marcada para a ilha de Samoa, em Setembro deste ano.

Posição Comum

“Tentaremos inovar sempre que for preciso e levar avante a questão de pequenos Estados insulares. Naturalmente, temos também o grupo informal de consultas que é o Aosis, onde naturalmente exporemos as nossas posições. Há uma tarefa que nos parece, todavia, importante. Que tem a ver com os Estados insulares de África, porque o continente tem poucos estados insulares e é importante que haja uma posição comum e forte. Trabalhamos com os restantes Estados do continente nesta matéria.”

Antes de seguir para Nova Iorque, o diplomata dirigiu a área dos Assuntos Políticos e de Cooperação no Ministério dos Negócios Estrangeiros de Cabo Verde. Ferreira também representou o seu país junto da União Europeia, em Bruxelas.