Unesco condena morte de profissionais de mídia no Brasil
BR

20 fevereiro 2014

Diretora-geral ficou alarmada com os assassinatos de Pedro Palma, José Lacerda da Silva e Edilson Dias Lopes; Irina Bokova pediu a investigação de todos os casos e que os responsáveis sejam levados à justiça.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, Irina Bokova, condenou os assassinatos de três profissionais da mídia no Brasil.

Bokova pediu às autoridades brasileiras que façam uma investigação detalhada e que levem à justiça os responsáveis pelas mortes do editor Pedro Palma, do cinegrafista José Lacerda da Silva e do radialista Edilson Dias Lopes.

Inaceitável

A chefe da Unesco disse que estava chocada com os assassinatos. Segundo ela, o preço que incide sobre os trabalhadores da mídia é trágico e inaceitável.

Bokova afirmou que a liberdade de expressão não pode prosperar sob a ameaça de armas de fogo.

Pedro Palma trabalhava no jornal semanal Panorama Regional, em circulação no interior do Estado do Rio de Janeiro. Ele foi baleado em frente a sua casa, em 13 de fevereiro.

Cinegrafista

José Lacerda da Silva era cinegrafista da TV Cabo Mossoró em Natal, no Rio Grande do Norte. Ele foi baleado por duas pessoas que estavam em um carro na cidade de Mossoró, em 16 deste mês.

E Edilson Dias Lopes, que era jornalista da rádio comunitária Explosão Jovem FM, foi baleado em Pinheiros, no Espírito Santo, em 11 de fevereiro.

Desde o início de 2013, Irina Bokova já condenou 10 assassinatos de profissionais de mídia no Brasil.