Cem dias após tufão, milhões de filipinos precisam urgente de assistência
BR

16 fevereiro 2014

Coordenadora humanitária da ONU no país fez neste domingo um balanço da ajuda distribuída até o momento; brasileira Luiza Carvalho destaca que a meta agora é garantir abrigo seguro para os que perderam suas casas.

As Nações Unidas fizeram um alerta este domingo sobre a ajuda urgente que ainda é necessária para milhões de filipinos vítimas do tufão Haiyan, uma das tempestadas mais fortes já registradas no país.

Para marcar 100 dias desde o desastre natural, a coordenadora humanitária da ONU nas Filipinas fez um balanço da ajuda distribuída até o momento. Segundo a brasileira Luiza Carvalho, o governo do país, a ONU e parceiros forneceram comida, medicamentos, água e itens de higiene.

Limpeza

A representante destaca que 500 mil famílias receberam tendas, para que pudessem ter um abrigo temporário após perderem suas casas com a passagem do tufão. Foram removidos das ruas 500 mil metros cúbicos de entulho, isso somente em Tacloban, área mais atingida pelo Haiyan.

Apesar dos progressos, Luiza Carvalho afirma que milhões de pessoas precisam de abrigo seguro e pede à comunidade internacional que ajude nessa tarefa. Outra dificuldade é retomar a economia local, já que foram perdidos 33 milhões de coqueiros e 30 mil barcos de pesca.

Segundo a coordenadora, o governo filipino recebeu apenas 45% dos US$ 788 milhões necessários para o plano de resposta estratégica. O valor é essencial para que a reconstrução continue.

Mais de 6 mil pessoas morreram nas Filipinas quando o tufão Haiyan atingiu partes do país no dia 8 de novembro e 4,1 milhões ficaram desabrigadas.