Jovens representam mais de 30% dos migrantes em todo o mundo
BR

14 fevereiro 2014

Novo levantamento das Nações Unidas alerta para as dificuldades enfrentadas por 75 milhões de pessoas com menos de 30 anos que saíram de seus países; metade são mulheres e meninas.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Um novo relatório da ONU, chamado “Juventude Mundial”, foi lançado esta sexta-feira e destaca os desafios enfrentados por 75 milhões de pessoas menores de 30 anos que vivem fora de seus países de origem. Metade são mulheres e meninas.

Esses jovens formam mais de 30% do total de migrantes internacionais e a situação deles e experiências de vida estão reunidas no estudo organizado pelo Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da ONU, Desa. 

Portugal

Um casal português que agora vive na França declarou à pesquisa que buscava uma chance de vida estável quando apareceu a oportunidade de migrar.

Já uma nigeriana que mora nos Estados Unidos relatou que muitos jovens decidem migrar na ilegalidade quando passam por dificuldades financeiras. Outra jovem que se identificou como transgênera disse que se mudou para os Estados Unidos porque no seu país de origem há perseguição baseada em orientação sexual.

Legalidade

O relatório informa que 60% dos jovens migrantes estão vivendo em países em desenvolvimento. Mas o grupo é diverso, influenciado por diferentes razões para a migração, como condições econômicas e sociais.

A migração voluntária por motivos de trabalho, estudos ou família é mais comum do que a migração forçada. O status da legalidade desses jovens depende do país onde vivem.

Alguns viajam com documentos, outros buscam autorização legal para entrar no país e há aqueles que acabam ficando além do tempo permitido pelo visto.

O relatório destaca outros desafios enfrentados por esses jovens migrantes, como dificuldades para encontrar moradia, garantir um emprego, ter acesso a serviços de saúde e se adaptar à vida em um novo país.

O documento sugere políticas de migração que levem em conta a situação dos jovens.