Especialista da ONU examina situação das minorias na Nigéria

17 fevereiro 2014

Rita Izsák chega esta segunda-feira ao país africano para avaliar problemas relacionados à etnia, religião e idioma; antes da deslocação afirmou que esta vai permitir entender as causas dos desafios enfrentados por minorias.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque*

A relatora independente da ONU de Direitos Humanos para minorias, Rita Izsák, chega esta segunda-feira à Nigéria para examinar a situação relacionada à etnia, à religião e ao idioma.

Izsák afirmou que a visita, que vai durar até 28 de fevereiro, vai permitir um maior entendimento sobre as causas dos desafios que envolvem os grupos minoritários e também a respeito das tensões entre comunidades.

Diversidade

Segundo a especialista, “a Nigéria é um país de rica diversidade que abriga uma variedade de minorias. É também uma das mais dinâmicas e vibrantes sociedades em África”.

Izsák faz a viagem a convite do governo nigeriano. Ela vai visitar Abuja e outras localidades como os Estados de Plateau e Rivers.

Ao final da viagem, Izsák vai preparar um relatório com as suas conclusões e recomendações que será entregue ao governo nigeriano e ao Conselho de Direitos Humanos da ONU.

Violência

Enquanto isso, agências noticiosas informaram que a situação da violência é grave no país, principalmente no estado de Borno.

Segundo os relatos, o governador da área pediu o envio de mais tropas para combater as milícias islamitas do grupo insurgente Boko Haram.

Num ataque realizado na terça-feira na área de Konduga, 39 pessoas foram mortas. Uma mesquita e mais de mil residências foram destruídas.

A milícia Boko Haram conduz há quatro anos uma campanha de violência para implementar um governo islâmico na região nordeste da Nigéria.

*Apresentação: Denise Costa.