ONU atribui mais US$ 10 milhões para emergência na República Centro-Africana

13 fevereiro 2014

Fundo similar foi concedido em princípios de dezembro; cerca de 300 mil deslocados pela violência estão concentrados na capital, Bangui; crise dominou diálogo, esta quinta-feira, entre o Secretário-Geral e o presidente francês.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

As Nações Unidas atribuíram US$ 10 milhões do Fundo Central de Resposta de Emergência para apoiar as mais críticas operações de auxílio na República Centro-Africana.

A subecretária-geral para os Assuntos Humanitários, Valerie Amos, lembrou que é a segunda atribuição do mesmo valor em pouco tempo. A mais recente foi a 9 de dezembro.

Medo

Amos destaca o facto de o país estar mergulhado no caos e na violência com mortos, devido aos vários meses de crise política e de ilegalidade. Conforme frisou, as pessoas vivem com medo em todo o território.

A violência já deslocou cerca de 714 mil pessoas em todo o país, e perto de 300 mil procuram refúgio na capital, Bangui.

Presidente da França

A entrega do valor foi anunciada no dia em que o Secretário-Geral, Ban Ki-moon, abordou a crise centro-africana com o presidente francês, François Hollande.

A chefe humanitária destaca que entre as enormes necessidades do país, os parceiros da área priorizam a prestação de assistência. O apelo foi para a restauração da segurança e da estabilidade, e para que haja mais ações para abordar as causas profundas do conflito além de prevenir a escalada de violência.

Vizinhos

A nota menciona relatos de atrocidades contra comunidades como aldeias inteiras saqueadas e incendiadas no que forçou a fuga de comunidades para as matas e para os vizinhos incluindo o Chade e os Camarões.

O Escritório para a Coordenação de Assuntos Humanitários, Ocha. Diz que o noroeste da República Centro-Africana continua a registar atrocidades dos grupos anti-Balaka, composta por cristãos, e os antigos Séléka, de maioria muçulmana.

De acordo com a entidade, apenas 28% dos US$ 207 milhões prometidos para financiar as operações humanitárias foram entregues. O valor foi avançado por doadores na reunião realizada em Bruxelas, a 20 de janeiro.