Em Dia Mundial, comunicadores destacam relevância da rádio em Moçambique

13 fevereiro 2014

Meio de comunicação é reconhecido pela acessibilidade; estatísticas confirmam que veículo continua a ser maior alvo da preferência do público em relação aos outros media.

Ouri Pota, da Rádio ONU em Maputo.

No âmbito da celebração do Dia Mundial da Rádio, neste 13 de fevereiro, vários profissionais ligados à área disseram que o veículo continua a fazer a diferença em Moçambique.

Com 38 anos de profissão, a comunicadora Glória Muianga, da maior emissora do país, disse à Rádio ONU, em Maputo, que a data deve trazer à mente a trajetória e o caráter imortal do meio de comunicação.

Emissora

“Começaram a fazer a magia de comunicar com os telexes, telégrafos e mais tarde  foi possível fazer o primeiro aparelho de rádio com som para transmitir uma mensagem. A partir daí foi avançando. Nós também, aqui em Moçambique, logramos ter a criação da nossa emissora através da Rádio Clube de Moçambique que depois se transformou em Rádio Moçambique, de caráter nacional.”

Ainda na única estação radiofónica pública do país, o chefe do Departamento da Criança e Adolescente, Coutinho Zita, realçou a importância do veículo para desenvolver o caráter. Mais de uma centena de jovens estão envolvidos em programas da emissora transmitidos em vários idiomas.

“A rádio contribui, portanto, para formação, educação com a sua recreação e informação para os mais novos quando fazemos emissões específicas para estes ouvintes do país e do mundo. É importante que aprendam. Nós contribuímos para a formação extra-curricular através dos vários conteúdos”, destacou.

Eficácia

O especialista em multimédia no Centro de Apoio à Informação e Comunicação Comunitária destaca a eficácia da rádio na sensibilização. Luís Neves e a sua equipa estão ligados a mais de 100 estações que transmitem a nível comunitário.

“Sensibilização a vários níveis, campanhas para a área de saúde, para boas práticas em diversos aspectos e mesmo educativas de uma forma inclusiva porque a própria comunidade acaba participando. Tem outra particularidade, tem a ver com os custos, para ouvir uma rádio, a pessoa precisa de comprar pilhas, pode ouvir num grupo de mais de uma pessoa, já existem alguns receptores que usam painéis solares, é baixo custo. Moral da história: a pessoa não precisa ter energia eléctrica para poder ouvir rádio.”

Novas Tecnologias

Como nos demais países em vias desenvolvimento, o veículo continua a atrair as maiores audiências. No mundo, tende acompanhar o desenvolvimento das novas tecnologias e as novas ferramentas de trabalho.

O Dia Mundial da Rádio celebra-se, anualmente, na data da primeira transmissão de um programa simultâneo para seis países pela Rádio ONU, em 1946.

Em 2011, a data foi oficialmente proclamada pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, tendo sido observada pela primeira vez no ano seguinte.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud