Na Rússia, Ban discursa sobre Olimpíadas e combate à homofobia
BR

6 fevereiro 2014

Secretário-Geral falou à sessão do Comitê Olímpico Internacional às vésperas da abertura dos Jogos de Inverno na cidade russa de Sochi.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

O mundo tem que eliminar a discriminação à comunidade de gays, lésbicas, bissexuais e transexuais, conhecida como Lgbt. Esta é a opinião do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon.

Ele está em Sochi, na Rússia, para a abertura das Olimpíadas de Inverno que começam nesta sexta na cidade.

Ataques

Na sessão do Comitê Olímpico Internacional, Ban disse que todos devem se manifestar publicamente contra ataques aos Lgbts protestando ainda contra as restrições e até prisões que eles enfrentam em várias partes do mundo.

Logo após o discurso, Ban participou de uma entrevista a jornalistas ao lado do presidente do COI, o alemão Thomas Bach.

Segundo Ban, os Jogos Olímpicos têm o poder de demonstrar que o esporte serve para unir pessoas independentemente de idade, raça, classe, religião, orientação sexual e outros fatores. Para o chefe da ONU, é preciso ainda combater a discriminação nos esportes.

Aparências

Ele lembrou que ódios, de qualquer natureza, não devem ter mais lugar no século 21. Para Ban Ki-moon, o esporte pode promover a paz e levar esperança a quem precisa. E todos têm o direito de competir sem prejuízo de aparências, origem ou afetos.

As Nações Unidas defendem ainda as Olimpíadas como uma oportunidade de dar poder às mulheres e de praticar a trégua olímpica com um cessar-fogo em todos os conflitos no mundo.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud