ONU lança apelo de US$ 2 mil milhões para auxílio ao Sahel

3 fevereiro 2014

Em Roma, organização revela intenção de cobrir mais de 20 milhões de habitantes em três anos; crescimento da população e subida de preços alimentares agravam cenário de insegurança alimentar na região de África.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A região africana do Sahel vai precisar de apoio internacional de US$ 2 mil milhões, este ano,  para alcançar cerca de 20 milhões de pessoas em risco de insegurança alimentar.

O pedido feito em Roma, esta segunda-feira, deve cobrir um plano de resposta de três anos a ser implementado pelas Nações Unidas e pelos seus parceiros.

Assistência

A estratégia regional pretende, igualmente, prestar auxílio a cerca de 2,5 milhões de carentes de assistência alimentar essencial urgente em nove países.

A coordenadora de Auxílio de Emergência da ONU, Valerie Amos, disse haver cada vez mais pessoas em risco, tendo realçado que nenhuma entidade poderia responder sozinha à escala das necessidades.

Somente neste ano, estima-se que 5 milhões de crianças com menos de cinco anos possam sofrer de desnutrição. Outro 1,5 milhão deve enfrentar a desnutrição aguda.

Deslocamento Prolongado

De acordo com as Nações Unidas, a violência e a insegurança forçaram o deslocamento de 1,2 milhão de pessoas, num fenómeno considerado prolongado aliado a uma crise de refugiados.

Durante o triénio, pretende-se alcançar os milhões de beneficiários com assistência vital, aumentar a sua resiliência e salvar vidas.

O plano deve cobrir países como Burkina Faso, Camarões, Chade, Gâmbia, Mali, Mauritânia, Níger, Nigéria e Senegal.

Causas Crónicas

O plano destaca ainda o reforço de parcerias com governos e com parceiros de desenvolvimento, numa perspectiva regional e plurianual, com vista a lidar com as causas crônicas das crises.

O diretor geral da FAO, José Graziano da Silva, disse que a prioridade é garantir o sucesso do plantio para agricultores, nas próximas semanas, ao colocar urgentemente insumos agrícolas à sua disposição.

Pequena Escala

Para que a próxima época seca não conduza a uma outra grande crise humanitária, a aposta é na resiliência das populações. As medidas incluem a produção de sementes de qualidade, a recuperação de terras agrícolas degradadas, a conservação da água das chuvas e o apoio à irrigação em pequena escala.

O crescimento da população da região está a superar o ligeiro aumento na produção de alimentos verificado em 2013, diz a FAO. A falta de acesso aos alimentos é agravada pela subida dos preços na maioria dos mercados.

No evento, a Comissão Europeia prometeu doar € 142 milhões em ajuda humanitária, este ano. Em 2013, o apelo internacional lançado para o Sahel foi de US$ 1,7 mil milhão, que veio a ser financiado em 63%.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud