Terrorismo foi o principal tema das discussões sobre a Síria em Genebra
BR

30 janeiro 2014

Nesta quinta-feira, ONU, governo e oposição abordaram a situação de segurança; Lakhdar Brahimi afirma que houve “momentos de tensão” e outros mais promissores durante negociações de paz.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

A segurança na Síria foi o principal assunto discutido esta quinta-feira entre governo, oposição e o enviado especial da ONU e da Liga Árabe ao país.

Em Genebra, Lakhdar Brahimi confirmou à imprensa que os lados concordaram que existe terrorismo na Síria, sendo um “grave problema” dentro do país. Mas o enviado disse que não houve acordo sobre como lidar com o terrorismo.

Homenagem

Na reunião desta quinta-feira, houve momentos “tensos” e outros mais “promissores”, de acordo com Brahimi. Segundo o enviado, eles fizeram um minuto de silêncio em homenagem aos civis mortos na guerra. A ideia foi sugerida pela oposição e teve o apoio dos representantes do governo.

Lakhdar Brahimi afirmou estar “muito decepcionado” com a situação em Homs, segundo ele, o primeiro lugar alvo de fortes conflitos e de destruição. O enviado lamentou a destruição de uma igreja construída no ano 57 e de uma mesquita, construída no início do islamismo.

Civis

De acordo com Brahimi, a ONU ainda está negociando com governo e a oposição sobre como ajudar os civis de Homs. Eles ainda não chegaram a um acordo se seria melhor primeiro retirar as famílias da área ou entregar comida e medicamentos.

Nesta quinta-feira, 600 cestas com itens de ajuda conseguiram ser entregues na região, de acordo com o enviado da ONU e da Liga Árabe. A primeira etapa das negociações mediadas por Brahimi termina esta sexta-feira. A expectativa é que governo e oposição voltem a se reunir com o enviado em fevereiro.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud