Angolanos serão formados em parceria que envolve FAO e Brasil

24 janeiro 2014

Objetivo é o reforço da segurança alimentar no país africano; agência da ONU considera documento um marco na cooperação Sul-Sul; beneficiários serão 105 pesquisadores e veterinários.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, o Brasil e Angola firmaram acordo no âmbito da Cooperação Sul-Sul  com vista a fortalecer a segurança alimentar no país africano.

Pelo projeto orçado em US$ 2,2 milhões, pretende-se impulsionar a pesquisa agrícola e veterinária no país africano.

Pesquisa

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Embrapa, vai prestar assistência técnica e formar pesquisadores angolanos.

Serão 105 especialistas do país no total, sendo 60 do Instituto de Pesquisa Agrícola e 45 do Instituto de Pesquisa Veterinária.

Marco na Cooperação

Na cerimónia de assinatura do acordo, o diretor-geral assistente da FAO, Laurent Thomas, disse que o Brasil tem muito a oferecer em termos de conhecimento técnico. O documento foi considerado um marco na Cooperação Sul-Sul envolvendo os dois países.

Thomas disse acreditar que o modelo seja seguido por outros países da região. Liderado pela agência da ONU, o projeto, que será financiado tanto por Angola como pelo Brasil, vai formular uma estratégia nacional para inovação no setor agrícola.

* Apresentação: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud