ONU e parceiros lançam projeto contra nanismo infantil no Malaui

23 janeiro 2014

Condição afeta quase 1 milhão de crianças menores de cinco anos no país da África Austral; iniciativa deve ser lançada em Moçambique ainda este ano.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

As Nações Unidas acabam de lançar um projeto no Malaui, com vista a combater o fraco desenvolvimento físico das crianças causado pela má nutrição. Segundo a organização, o nanismo afeta quase 1 milhão de menores de cinco anos no país.

A iniciativa é apoiada pelo governo malauiano, em parceria com o Programa Mundial de Alimentação, PMA. O financiamento, de US$ 10 milhões, vem da Fundação Fundo de Investimento das Crianças.

Moçambique

A agência destaca que Moçambique será o próximo país a receber o projeto, ainda este ano.

No âmbito da iniciativa serão atendidas 66 mil mães e as suas crianças no distrito malauiano de Ntchisi, no centro. O projeto visa reduzir os casos de nanismo entre 5% a 10%, além de levantar evidências sobre a melhor forma de combate ao problema.

Causas

Segundo o PMA, a insegurança alimentar, a dieta pobre em alimentos diversos e a repetição de doenças são as principais causas do nanismo no país.

O foco da agência é utilizar os alimentos certos, na hora certa para prevenir o nanismo. O projeto envolve 13 intervenções nutricionais, como o fornecimento de alimentação complementar, cuidados em caso de má nutrição aguda e práticas seguras de higiene.

Produção

Um produto especializado, chamado Nutributter, será fornecido a todas as crianças registadas entre 6 e 23 meses de vida.

Segundo o PMA, a situação alimentar no Malaui está a piorar com a baixa produção agrícola, como resultado de longos períodos de seca, cheias e alto preço dos alimentos.

*Apresentação: Eleutério Guevane.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud