Conselho de Direitos Humanos nomeia relatora para RCA BR

Conselho de Direitos Humanos nomeia relatora para RCA

Resolução adotada esta segunda-feira prevê visita urgente de Marie-Therese Keita Bocoum à República Centro-Africana; para Ban Ki-moon, país está em “queda livre”; Brasil “muito preocupado” com a situação.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York. 

O Conselho de Direitos Humanos nomeou esta segunda-feira uma relatora independente para a República Centro-Africana. Na resolução, adotada por unanimidade, o órgão prevê que Marie-Therese Keita Bocoum faça uma “visita urgente” ao país.

A situação na RCA foi discutida em uma sessão especial do Conselho de Direitos Humanos em Genebra. Uma mensagem do Secretário-Geral da ONU lida durante a reunião afirma que o país “está em queda livre, com o colapso de instituições públicas, a desintegração das forças de segurança e o medo que envolveu” a nação.

Cristãos e Muçulmanos

Para Ban, o país passa por uma “crise de proporções épicas, que requer ação imediata” e divide comunidades de cristãos e muçulmanos.

Segundo o Secretário-Geral, está sendo estabelecida uma Comissão Internacional de Inquérito para documentar os abusos e as violações aos direitos humanos que ocorrem na República Centro-Africana.

A alta-comissária para os Direitos Humanos discursou durante a sessão em Genebra e lembrou ter enviado uma missão ao país em dezembro. Segundo Navi Pillay, o grupo fez 183 entrevistas em várias províncias, incluindo na capital Bangui.

Estupros e Tortura

Pillay destacou que a missão levantou informações sobre casos de violência sexual, desaparecimentos forçados, tortura, detenções arbitrárias, saques e destruição de propriedades, incêndios a igrejas e mesquitas.

A alta-comissária apelou à comunidade internacional aumento do apoio à República Centro-Africana, para que seja restaurada de imediato a segurança no país.

O representante da RCA na ONU em Genebra também fez um pronunciamento durante o debate. Segundo o embaixador Leopold Ismael Samba, “há um risco de genocídio” no país, que pode aumentar se nada for feito.

Brasil

O Brasil foi uma das nações que participaram da sessão especial do Conselho de Direitos Humanos, com um discurso lido pela representante Maria Luisa de Moraes.

Na visão do Brasil, o fim da violência será alcançado assim que forem tratadas questões como exclusão social, discriminação, injustiça e insegurança alimentar.

O Brasil também expressou “profunda preocupação com a situação na República Centro-Africana” e espera que a sessão no Conselho de Direitos Humanos identifique estratégias para aliviar o sofrimento da população.

Segundo agências de notícias, o Conselho Nacional de Transição da República Centro-Africana elegeu esta segunda-feira Catherina Samba-Panza como presidente interina do país. Ela é a primeira mulher a ocupar o cargo.