Chefe regional da ECA avança alternativas para impulsionar empregos

Chefe regional da ECA avança alternativas para impulsionar empregos

Representante para África Oriental sugere propostas como planeamento e investimento nos países da área; ao baixar o número de pobres em mais de 10% desde o ano 2000, região contrariou tendência global.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O responsável para a Região Oriental da Comissão Económica da ONU para África expôs uma série de propostas para cobrir a necessidade de criar mais oportunidades de emprego.

Num artigo publicado no site da comissão, António Pedro recomenda medidas aos governos, que incluem reativar o planeamento e aumentar o investimento.

Diálogo

A ideia é que autoridades, as partes interessadas e as entidades internacionais estabeleçam um diálogo com vista a garantir apoio às visões e às políticas que possam responder às necessidades populares.

O número de pessoas que vivem com menos de US$ 1,25 diários na região baixou de 65% no ano 2000 para 54% em 2011.

No mesmo período, a população a viver abaixo do considerado limiar da pobreza aumentou de 155 milhões para 166 milhões a nível global.

Desenvolvimento

O responsável sugere maior abertura à criatividade e ao desenvolvimento do empreendedorismo, além do uso de conteúdos locais para promover a criação de empresas nacionais. Para tal, seriam criadas pequenas e médias empresas tidas como o viveiro de criação de emprego.

Mas o representante destaca também a necessidade de aumentar o que chama “ambição e a qualidade dos programas de ensino.”

Para reduzir custos de transação e aumentar a competitividade, a sugestão é o alargamento da infraestrutura.