Na ONU, países pedem políticas específicas para áreas de montanha

9 janeiro 2014

Encontro destaca planos de adaptação e de mitigação das mudanças climáticas; zonas montanhosas são consideradas as mais afetadas pelas mudanças do clima e teme-se a ameaça à subsistência dos habitantes.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

Representantes de países de montanha juntaram-se a várias agências da ONU, em Nova Iorque, para pedir que estratégias de desenvolvimento sustentável tenham em conta as políticas específicas para o tipo de áreas.

O foco especial do evento “Construindo Resiliência às Mudanças Climáticas em Zonas de Montanha”, realizado nesta quinta-feira, foram os planos de adaptação e de mitigação das alterações do clima.

Conservação

A ideia é que sejam melhorados os meios de subsistência dos povos das regiões de montanha, além da conservação dos seus ecossistemas.

O encontro refletiu em torno dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, a serem definidos para orientar a visão global no período pós-2015.

O evento destacou a importância das montanhas para garantir uma agenda global abrangente, especialmente perante a diversidade de ecossistemas nas áreas que fornecem água doce à metade da população mundial. As regiões montanhosas também são tidas como locais privilegiados de biodiversidade.

Sistemas de Alerta

As mudanças climáticas afetam severamente as zonas montanhosas além de ameaçar a subsistência dos povos das regiões. De acordo com cientistas, as montanhas servem de sistemas de alerta pelo facto de as mudanças que ocorrem nos seus ecossistemas poderem dar uma visão antecipada do que pode ocorrer nas áreas de planície.

O encontro foi coordenado pela Organização da ONU para Agricultura e Alimentação, FAO, e o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud