Refugiados ajudam a manter acampamento no Sudão do Sul

8 janeiro 2014

Acnur afirma que todos trabalham em conjunto nas operações em Maban, o maior acampamento; segundo agência da ONU, violência na região nordeste cortou acesso ao local.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, informou que funcionários da agência e civis trabalham em conjunto para manter as operações no maior acampamento do Sudão do Sul.

Segundo o Acnur, os residentes tornaram-se guardas de segurança e funcionários da organização operam como mecânicos da bomba d’água. O objetivo é que os 120 mil refugiados abrigados em Maban possam viver da melhor forma possível.

Confrontos

O chefe do Acnur no Sudão do Sul, Adan Ilmi, disse que “todos vão para os acampamentos todas as manhãs e fazem o que tiver de ser feito.”

Para o responsável, é vital que todos trabalhem porque os confrontos no nordeste do país já cortaram vários acessos a estradas que levam até a região.

Alimentação

O Acnur tem apenas 20% dos funcionários necessários em operação na área e depende dos próprios refugiados para realizar várias funções.

Tendo em vista a possibilidade da região ficar isolada devido à violência, o Acnur e o Programa Mundial de Alimentação, PMA, começaram a distribuir kits de alimentação para 45 dias em vez de 30, conforme era feito anteriormente. 

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud