ONU e agências querem US$ 1 mil milhão para ajudar crianças sírias

7 janeiro 2014

Iniciativa tem apoio do Unicef, do Alto Comissariado para Refugiados e das organizações Salve as Crianças e Visão Mundial; dinheiro será destinado à construção de escolas e projetos de apoio aos menores.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

As Nações Unidas anunciaram, esta terça-feira, o lançamento de uma estratégia de US$ 1 mil milhão para prevenir que uma geração inteira de crianças se perca na Síria.

A iniciativa “Sem Geração Perdida” está a ser apoiada pelo Unicef e pelo Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, além das organizações Salve as Crianças e Visão Mundial. O Secretário-Geral, Ban Ki-moon, reforçará o anúncio com um discurso na sede do Unicef, esta terça-feira.

Menos Oportunidades

Os organizadores estão a pedir a governos, agências humanitárias e a cidadãos de todo o mundo que defendam as crianças sírias. Eles lembraram que o que está em jogo é evitar que elas tenham uma vida de menos oportunidades e futuros destruídos.

O chefe do Acnur e ex-primeiro-ministro de Portugal, António Guterres, referiu que o mundo precisa responder com urgência.

Já a porta-voz da agência, Melissa Fleming, falou a correspondentes, em Genebra, sobre a situação dos países vizinhos que estão a abrigar os refugiados.

Dobro da Carga Horária

Fleming lembrou que parte do problema é que os países estão sobrecarregados. Ela contou o caso do Líbano, onde o sistema escolar está superlotado. Ali, os professores já estão a fazer o dobro das horas de trabalho para atender as crianças sírias.

Segundo a porta-voz, o Líbano precisa de construir mais escolas, e também a Jordânia.

O Acnur alertou para o caso da própria Síria, onde metade das crianças está fora das salas de aula.

Situação Traumática

Com a estratégia de US$ 1 mil milhão, as organizações pedem a doadores e ao público em geral que apoiem os programas de educação e proteção para resgatar as crianças de uma situação traumática.

Entre os projetos estão a criação de um currículo escolar acelerado, treinamento vocacional, capacitação de professores e um ambiente de com redução de riscos para os menores.

Além disso, serão oferecidas assistência psicológica e educacional, e criados centros para alunos que não estejam frequentando as aulas, e clubes para meninos e meninas em idade pré-escolar.

Trabalho Forçado

A iniciativa da ONU está a ser apresentada uma semana antes da realização de uma conferência internacional de doadores, marcada para ocorrer no Kweit.

Há quase três anos, as crianças sírias começaram a sofrer as consequências da guerra, Muitas estão a ser vítimas de trabalho forçado, recrutamento em grupos armados, casamentos infantis e violência de gênero.

A campanha das Nações Unidas também está a ser lançada em canais de mídia social com a hashtag #childrenofsyria.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud