OIT quer usar esportes para promover empregos para juventude BR

OIT quer usar esportes para promover empregos para juventude

Agência utiliza projetos na Ásia e na América Latina para incluir jovens carentes no mercado de trabalho; iniciativa despertou interesse da Federação Internacional de Futebol, Fifa.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

Dois projetos apoiados pela Organização Internacional do Trabalho estão promovendo o esporte como canal de inserção no mercado para jovens carentes de várias partes do mundo.

A iniciativa, batizada de “A Ganhar” na América Latina e de “Só Jogar” na Ásia tenta fazer com que habilidades de esporte e lazer como comunicação, ética e disciplina possam ser transferidas para o meio profissional.

Criatividade

O especialista da OIT na Ásia-Pacífico, Matthieu Cognac, afirmou que muitas vezes, os empregadores deixam de contratar pessoal por falta de experiência.

Mas segundo ele, há um conjunto de habilidades que são desenvolvidas com a prática de esporte e que acabam sendo úteis também no mercado de trabalho como criatividade, pontualidade, espírito de equipe e energia.

Cognac explicou que esses predicados são conhecidos como “habilidades suaves”, mas que fazem grande diferença na vida de uma empresa.

Sucesso

A iniciativa da agência da ONU está sendo realizada com o apoio aos dois projetos.

A OIT questiona situações onde o jovem profissional deixa de ser contratado para um emprego por falta de experiência, mas consegue obter bastante sucesso nos esportes.

O projeto latino-americano está sendo levado a cabo em Buenos Aires, na Argentina. Dados oficiais indicam que mais de 9,5 milhões de jovens estejam desempregados no continente. E mais de um em cado cinco não trabalha, nem estuda.

Inclusão Social

Já o programa “Só Jogar”, na Oceania, que conta com crianças de seis a 12 anos despertou o interesse da Federação Internacional de Futebol, Fifa.

A agência da ONU lembrou que os esportes têm um papel importante na vida de adolescentes e jovens na região do Pacífico, e especialmente onde os níveis de desemprego são altos.

Para a OIT, o esporte gera inclusão social, ajuda a combater doenças crônicas, gravidez na adolescência e incentiva bom comportamento social por parte dos jovens.

Segundo os especialistas, a prática do esporte é um incentivo ainda para o bom desempenho e a frequência escolares, e alavanca a participação cidadã.