Unmiss preocupada com movimento de grupos armados no Sudão do Sul

30 dezembro 2013

Missão da ONU diz que avanço de jovens segue em direção ao estado sul-sudanês de Jonglei; em todo o país, número de deslocados subiu para 180 mil.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A Missão da ONU no Sudão do Sul, Unmiss, disse estar extremamente preocupada com o número de jovens armados a avançar para Bor, a capital do estado sul-sudanês de Jonglei.

Em comunicado, a agência confirmou que tem estado há alguns dias a seguir relatos do tipo de movimento, mas não pôde confirmar de forma independente o seu tamanho ou localização.

Reunião

Nesta segunda-feira, o Conselho de Segurança vai abordar a violência no país numa sessão à porta fechada.

Agências noticiosas apontam para mais de 1 mil mortos devido a disputas entre as forças leais ao presidente Salva Kiir e ao seu ex-vice, Riek Machar. Os combates passaram a envolver as suas comunidades Dinka e Nuer.

Combates

O Escritório da ONU para Assistência Humanirária estima que 180 mil pessoas já foram deslocadas desde o início da onda de combates a 15 de dezembro.

Nas instalações da Unmiss, 75 mil pessoas pediram abrigo  para fugir da violência, incluindo na capital Juba e nas cidades de Bor, Bentiu , Malakal e Pariang.

Na capital de Jonglei, a operação de paz diz ter feito um reconhecimento aéreo e que relatos deste domingo apontavam para grupos armados que estavam a cerca de 50 km a nordeste da cidade.

Compromisso

A representante especial do Secretário-Geral no Sudão do Sul, Hilde Johnson, disse estar em contacto com vários líderes políticos e comunitários. Nas conversas, é salientado o apelo ao compromisso no sentido do uso da sua influência para convencer os jovens armados a travar o avanço.

De acordo a Unmiss, grande parte de Bor é controlada pelo Governo. No estado de Unity, a situação é tida como calma mas tensa, em torno da capital Bentiu. A missão deu a conhecer relatos de combates pesados na cidade de  Mayom, a nordeste.

Polícia

A 27 de dezembro desembarcou no país o primeiro grupo de polícias da ONU provenientes da Missão da ONU na República Democrática do Congo, Monusco.

A Unmiss anunciou a chegada do primeiro pelotão da polícia em Bor para garantir o apoio para  impor ordem e segurança no interior no complexo da missão na cidade.

O Ocha diz, entretanto, que dentro e fora de bases da Unmiss cerca de 106 mil pessoas receberam algum tipo de assistência até ao momento. O apoio aos deslocados inclui alimentação, cuidados de saúde, vacinas, água potável, saneamento e serviços de proteção.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud