República Centro-Africana: Ban pede cooperação com forças internacionais

27 dezembro 2013

Reação do Secretário-Geral segue-se à morte de soldados da paz e à descoberta corpos nas ruas de Bangui.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque.*   

O Secretário-Geral lamentou a morte de seis elementos das tropas de paz da Missão Internacional de Apoio Liderada por Africanos na República Centro-Africana, Misca.

Em nota, Ban Ki-moon também confirma a morte de um funcionário das Nações Unidas nesta terça-feira. Às partes envolvidas nos confrontos, o Secretário-Geral pede que cooperem com a União Africana e com as forças francesas.

Necessitados

Ban explicou que a missão não faz parte do conflito entre os centro-africanos, e que o seu objetivo é fornecer segurança aos necessitados. No princípio deste mês, a Misca foi autorizada pelo Conselho de Segurança.

O apelo de paz feito por líderes religiosos centro-africanos, tanto cristãos como muçulmanos, com vista ao fim dos confrontos foi elogiado pelo chefe da ONU.

Dezenas de Corpos

O responsável manifestou-se consternado com a violência contínua no país, onde foram encontradas dezenas de corpos, nesta quinta-feira, em várias ruas da capital, Bangui.

Após endereçar condolências às famílias das vítimas, Ban reafirmou o empenhado em garantir a segurança de todos, em particular, dos funcionários da organização para que possam prestar auxílio aos civis.

Responsabilidades

O pedido feito às autoridades provisórias é que cumpram com suas responsabilidades para conter os que fomentam e praticam a violência no país.

Ao realçar que os responsáveis pelas atrocidades vão responder pelos crimes, Ban Ki-moon reafirmou o compromisso das Nações Unidas em ajudar a República Centro-Africana a sair da crise e consolidar a paz.

*Apresentação: Eleutério Guevane

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud