Brahimi defende participação das mulheres sírias no processo de paz
BR

19 dezembro 2013

Representante especial da ONU e da Liga Árabe condena detenção e sequestro de ativistas; fórum sobre o tema começou esta quinta-feira em Genebra.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O representante especial das Nações Unidas e da Liga Árabe para a Síria está condenando a prisão e o sequestro de mulheres ativistas no país.

Segundo Lakhdar Brahimi, a Síria está passando por um período difícil e as “mulheres devem ter a oportunidade de serem ouvidas no processo de paz.”

Apelo

Brahimi afirmou ter a esperança de que as mulheres sejam respeitadas por todos, incluindo pelo governo e por grupos da oposição. Ele fez o apelo na abertura de um fórum sobre mulheres sírias, que ocorre em Genebra.

O representante citou Razan Zaitouneh, uma advogada síria de direitos humanos que foi sequestrada com três colegas há duas semanas. Brahimi lembra que o destino da ativista continua desconhecido, desde que ela foi retirada à força de sua casa em Damasco.

Para o representante, é preciso exigir a libertação dos ativistas e ajudar todas as mulheres a cumprir seu papel no processo de paz, que segundo Brahimi, têm os mesmos direitos do que os homens em apoiar o governo ou a oposição.

De acordo com a diretora da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, 70% dos deslocados sírios são mulheres e crianças.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud