Darfur: Unamid saúda decisão contra uso de crianças-soldado por rebeldes

Darfur: Unamid saúda decisão contra uso de crianças-soldado por rebeldes

Representante da missão elogiou Exército de Liberação do Sudão por proibir o recrutamento e uso de menores no grupo; Mohamed Ibn Chambas afirmou que envolver crianças em conflitos armados é um crime grave.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova Iorque.*   

A Missão Conjunta da ONU e da União Africana em Darfur, Unamid, saudou a decisão tomada pelo líder do Exército de Libertação do Sudão Minni Minawi, de proibir o uso de crianças-soldado nas suas fileiras.

O representante da missão, Mohamed Ibn Chambas, disse esta quarta-feira, que a Unamid elogiou o compromisso do Exército de Libertação de cumprir com do Direito Internacional e os princípios sobre a proteção de crianças contra a violência. 

Crime Grave

Chambas referiu que envolver crianças em conflitos armados é um crime grave que não apenas coloca em perigo a vida dos menores mas também afeta de forma negativa o seu futuro e das sociedades em que vivem.

A decisão tomada pelo grupo seguiu-se à sua participação na reunião sobre paz e segurança em Darfur, realizada em Adis Abeba, na Etiópia, na semana passada.

No encontro, foram discutidos assuntos relacionados com o Direito Internacional Humanitário e os direitos humanos.

Cursos Profissionais

Ainda na região do Sudão, a ONU participa numa campanha para dotar prisioneiros da Prisão Federal Shallah de novas habilidades profissionais em El Fasher, na região de Darfur Norte.

Vários detidos graduaram-se em cursos de soldadura, alvenaria e eletricidade oferecidos pela Unamid, pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, Pnud com a participação do governo sudanês.

O objetivo da campanha é incentivar os prisioneiros e evitar o risco de reincidência.

Na cerimónia de graduação do grupo, o chefe da Unamid na região, Aderemi Adekoya, disse que a missão acredita na reintegração dos prisioneiros na sociedade. A ação é tida como prioridade para mudar a vida dos detidos após o cumprimento das respetivas sentenças.

*Apresentação: Eleutério Guevane.