Região árabe é a mais vulnerável às mudanças climáticas
BR

11 dezembro 2013

Afirmação é do Programa da ONU para o Meio Ambiente; com crescimento populacional e aumento das pressões ambientais, mudanças serão mais rápidas nos países árabes do que no resto do mundo.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O ritmo das mudanças climáticas na região árabe pode ser mais rápido do que no resto do mundo, devido ao crescimento populacional e ao aumento das pressões ambientais.

A informação é do Programa da ONU para o Meio Ambiente, Pnuma, que divulgou um relatório sobre o tema em parceria com uma iniciativa de Abu Dhabi.

Imagens

O estudo avaliou a situação de países como Árabia Saudita, Argélia, Catar, Egito, Iêmen, Jordânia, Líbano, Marrocos e Tunísia.

Mais de 80 lugares na região árabe foram fotografados para a pesquisa, que também usou imagens de satélite para analisar as mudanças.

Segundo o Pnuma, o estudo traz com clareza o que está acontecendo nos países árabes, com fotos de antes e depois, que mostram o uso da terra, o crescimento urbano, a degradação de áreas costeiras e marinhas, a perda de habitats e os impactos das mudanças climáticas.

Desastres Naturais

A agência da ONU destaca que a escassez de água é um problema em 19 dos 22 países árabes. A desertificação e a degradação da terra afetam 17 nações, o que pode causar insegurança alimentar e levar os civis a migrar para outras áreas.

O estudo também afirma que mais de 1,7 mil espécies estão ameaçadas e que a região árabe está sujeita a vários desastres naturais, especialmente à seca.

Entre 1980 e 2009, terremotos, enchentes, secas e tempestades causaram prejuízos de US$ 20 bilhões. Nos últimos 25 anos, a região árabe enfrentou 276 desastres naturais e 40% ocorreram nos últimos cinco anos.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud