OIT diz que mundo tem 21 milhões de vítimas da escravidão moderna BR

OIT diz que mundo tem 21 milhões de vítimas da escravidão moderna

Alerta consta da mensagem do Secretário-Geral para marcar o Dia Internacional para Abolição da Escravidão.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

As Nações Unidas marcam neste 2 de dezembro o Dia Mundial para Abolição da Escravidão. A data entrou para o calendário da ONU após uma resolução da Assembleia Geral sobre o tema em 1949.

Em mensagem, o chefe da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que os países precisam de leis nacionais mais fortes para combater formas modernas de escravidão.

Empresas

Cálculos da Organização Internacional do Trabalho, OIT,  sugerem que o problema atinja 21 milhões de pessoas em todo o mundo.

O antropólogo Manuel Ramos falou à Rádio ONU de Lisboa, sobre algumas formas contemporâneas de escravidão na Europa.

Ban afirmou ainda que mais empresas precisam garantir que suas atividades não levem a formas de escravidão. Ele citou ainda o trabalho do Fundo Voluntário das Nações Unidas sobre Formas Contemporâneas de Escravidão. Há mais de 20 anos, a iniciativa presta auxílio à restauração dos direitos humanos e da dignidade de vítimas.

Violação

O presidente da Assembleia Geral, John Ashe, disse que a escravidão foi e continua a ser talvez a maior tragédia humana da história. Ashe lembrou que mesmo abolida, a prática deixou cicatrizes emocionais.

Pela resolução da Assembleia Geral, os países-membros foram instados a erradicar todas as formas de escravidão, além de impulsionar iniciativas de promoção da inclusão social e pelo fim da discriminação.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley.