Estação de furacões termina com baixa recorde de tempestades desde 1982
BR

29 novembro 2013

Organização Mundial de Meteorologia diz que boas condições atmosféricas no Golfo do México, na parte tropical do Atlântico e no Mar do Caribe influenciaram resultado.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

A estação de furacões encerra-se neste sábado com um recorde. A temporada registrou o número mais baixo de tempestades desde 1982.

A constatação da Organização Mundial de Meteorologia, OMM, foi divulgada nesta sexta-feira num comunicado, em Genebra. 

Fatores 

A porta-voz da agência, Clare Nullis, explicou que o resultado se deve a “condições atmosféricas persistentes” no Mar do Caribe, no Golfo do México e na parte tropical do Oceano Atlântico.

Os dados são da Agência Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos.

Desde 1950, esta deve ser a sexta temporada menos ativa se considerados fatores como força e duração de tempestades e furacões.

Em 2013, foram formadas 13 tempestadades na região. Duas: Ingrid e Humberto foram classificadas de furacões, mas em menor escala.

Pacífico

Mesmo que a quantidade de tempestades com nomes tenha sido maior que a média, de 12, o número de furacões (pequenos e grandes) ficou abaixo da média em seis e três, respectivamente. Um furacão só é considerado de grande escala quando entra na categoria 3 ou acima.

A OMM lembrou que embora os Estados Unidos tenham tido uma temporada mais tranquila, o vizinho México sofreu mais com a estação de furacões este ano. O país latino-americano foi afetado por oito tempestades incluindo três na Bacia do Atlântico e cinco do leste Pacífico Norte.

No dia 15 de setembro, dois ciclones tropicais atravessaram o México, quase que de forma simultânea, num acontecimento raro desde 1958.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud