PMA diz que situação na República Centro-Africana continua a deteriora-se

29 novembro 2013

Mas agência está a levar alimentos a 29 mil pessoas e pretende aumentar a distribuição a outros 8 mil nos próximos dias.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Programa Mundial de Alimentação, PMA, informou que a situação na República Centro-Africana está a deteriorar-se.

Apesar da falta de segurança, a agência da ONU está a conseguir aumentar suas operações.

Insegurança Alimentar

Em outubro, o PMA distribuiu alimentos para os deslocados internos de Bossangoa. Cerca de 29 mil centro-africanos receberam 358 toneladas de comida.

Este mês, 8 mil pessoas a mais devem ser beneficiadas. De acordo com o PMA, 1,3 milhão de pessoas estão a sofrer com insegurança alimentar na República Centro-Africana.

Deste total, a metade é formada de deslocados internos.

Pilhagens

O PMA informou que a maioria dos deslocados que conseguiram escapar da violência está a esconder-se nas matas, o que torna mais difícil alcançá-los com o auxílio. Para resolver esta problema, o PMA está a pensar em reabrir um escritório em Bambari e Kanga-bandoro, onde equipas móveis poderiam operar.

A agência das Nações Unidas lembrou que a situação humanitária na República Centro-Africana continua a ser alarmante. Metade da população de 2,3 milhões de pessoas no país africano precisa de ajuda.

A violência também está a atingir trabalhadores humanitários que são alvos de grupos armados e de pilhagens.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud