Pesquisa da ONU alerta sobre futuro sombrio para crianças sírias
BR

29 novembro 2013

Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, diz que menores no Líbano e na Jordânia estão sendo obrigados a trabalhar para sustentar as famílias; muitas crianças estão sendo recrutadas por grupos armados.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas lançaram um alerta, nesta sexta-feira, sobre o futuro das crianças refugiadas do conflito na Síria.

Segundo uma pesquisa, realizada no Líbano e na Jordânia, muitos menores estão sofrendo traumas psicológicos por causa dos efeitos da guerra. Os dois países concentram mais de 60% das crianças refugiadas da Síria.

Ações Imediatas

O levantamento foi feito pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur.

A agência da ONU afirmou que as crianças terão um futuro sombrio uma vez que vários menores sírios estão sendo obrigados a trabalhar para sustentar suas famílias.

No Líbano, por exemplo, 80% das crianças sírias estão fora da escola. Já na Jordânia, mais de cinco em cada 10 menores deixaram de frequentar as aulas.

O relatório também sugere que muitos estão sendo recrutados por grupos armados.

Geração Inteira

O diretor da área de Proteção Internacional do Acnur, Volker Turk, falou sobre o peso da guerra para os menores.

Turk explicou que as crianças são as mais afetadas em situações de conflito. Segundo ele, o prejuízo para os menores é dobrado.

O porta-voz do Acnur afirmou que não só as crianças sírias sofrem, mas também os menores que vivem nos países que abrigam os refugiados.

Lavouras, Fazendas e Lojas

Já o chefe da agência, António Guterres, disse que ações imediatas devem ser tomadas para acabar com o conflito. Segundo ele, caso isso não aconteça, uma geração inteira de inocentes se tornará vítima do que ele chamou de uma “guerra terrível.”

A pesquisa do Acnur informou que crianças de sete anos de idade estão sendo obrigadas a trabalhar várias horas na lavoura, em fazendas e lojas por salários muito baixos ou até sem nenhum pagamento.

Em alguns casos, as condições de trabalho são perigosas e exploradoras.

O Acnur calcula que mais de 1,1 milhão de crianças refugiadas sírias estejam nos países vizinhos. Mais de 70 mil famílias refugiadas vivem sem o pai.

As entrevistas para a pesquisa foram realizadas entre julho e outubro deste ano com crianças e famílias sírias na Jordânia e no Líbano.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud