ONU diz que China ainda tem desafios para implementar economia verde
BR

27 novembro 2013

Líder em investimentos de energia renovável, país empregou quase US$ 68 bilhões no setor, mas relatório lembra que nação asiática continua sendo a que mais lança na atmosfera gases que causam o efeito estufa.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

O Programa da ONU sobre o Meio Ambiente, Pnuma, divulgou esta quarta-feira um relatório sobre a China e os investimentos do país no setor da indústria ambiental.

Somente no ano passado, a China aplicou US$ 67,7 bilhões em tecnologia para geração de energia renovável. Segundo o Pnuma, este foi o maior investimento mundial no setor.

Cimento

Entre 2006 e 2010, a China conseguiu reduzir em 19% a intensidade de energia por unidade do Produto Interno Bruto, PIB. Só no setor de cimento, a redução de energia foi de 41%. O Pnuma lembra que a indústria de cimento contribuiu muito para as emissões de gás carbônico.

Apesar dos progressos, a agência nota que a China continua sendo o país que mais lança na atmosfera gases que causam o efeito estufa. Em 2012, 27% das emissões globais saíram da China.

Água

O país consume 60% do cimento mundial, 49% do ferro e do aço e 20% da energia. O Pnuma destaca ainda que o crescimento econômico chinês está sendo ameaçado pela poluição do ar e da água.

A estimativa é que 90% das fontes de água do país estejam poluídas e a poluição do ar causa 1,2 milhão de mortes prematuras por ano.

O relatório da agência da ONU foi produzido em conjunto com o Ministério do Meio Ambiente da China. O documento recomenda a construção de prédios eficientes e a redução das perdas de energia e de água.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud