Acnur anuncia fluxo de 6 mil sírios para o Líbano devido à violência

Acnur anuncia fluxo de 6 mil sírios para o Líbano devido à violência

Agência prevê que escalada dos combates em Qarah e em aldeias vizinhas provoque mais fugas; abrigo escasseia mesmo em salões públicos e mesquitas da cidade libanesa de Arsal.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Alto Comissariado da ONU para Refugiados, Acnur, disse, esta terça-feira, que cerca de 6 mil pessoas deixaram a cidade síria de Qarah para o Líbano na fronteira leste.

Para lidar com o novo fluxo, a agência trabalha desde o fim de semana com parceiros e autoridades do país de acolhimento. O Acnur cita relatos da escalada da violência, tanto no centro urbano sírio como nas aldeias vizinhas.

Refugiados

Várias famílias são citadas a referir que passaram dias a viver em abrigos subterrâneos, antes de decidirem fugir. Um agregado de 10 membros teria fugido no mesmo veículo, quando a situação se tornou insuportável.

O destino da maioria dos refugiados é a cidade de Arsal , no nordeste do Líbano. Já antes do novo deslocamento, um terço da área habitada por 60 mil pessoas era composta por refugiados registados pela agência da ONU.

Assistência

A preocupação é que a violência nas áreas do interior e dos arredores das cidades de Qarah e Qalamoun possa resultar em mais fugas da Síria para a já repleta área libanesa de Bekaa.

Somente nos últimos três dias, mais de 1 mil famílias sírias recém-chegadas foram registadas em Arsal, tendo recebido assistência de emergência.

Abrigos

Os artigos distribuídos incluem cestas básicas, cobertores, colchões, kits de cozinha e de higiene.

O desafio da agência é lidar com o grande número de recém-chegados que, além de terem sido encaminhados para quatro abrigos temporários, ocupa espaços públicos e mesquitas.

Estima-se que 80 famílias estejam em assentamentos informais, e que outros criaram abrigos improvisados em edifícios inacabados ou tiveram hospedagem em famílias locais.