Diarreia mata 800 mil crianças por ano no mundo
BR

19 novembro 2013

Secretário-Geral fez a declaração para marcar o Dia Mundial do Toalete esta terça-feira 19 de novembro; ele afirmou que a falta de saneamento e de higiene são as principais causas das mortes e das doenças.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, alertou que 800 mil crianças com menos de cinco anos morrem de diarreia todos os anos em todo o mundo.

A declaração foi para marcar o Dia Mundial do Toalete, esta terça-feira, 19 de novembro.

Principais Causas

Ban disse que essas crianças morrem desnecessariamente, mais do que uma por minuto. Ele afirmou que muitas outras ficam doentes e sofrem sequelas de saúde e de desenvolvimento a longo prazo.

O chefe da ONU disse que a falta de saneamento e higiene são as principais causas dessas mortes e de doenças.

Segundo ele, 2,5 bilhões de pessoas no planeta não têm acesso a um sistema de saneamento adequado. Mais de um bilhão de pessoas fazem suas necessidades a céu aberto.

Ban explicou que chegou a hora de se quebrar tabus e transformar o saneamento para todos numa prioridade global.

Essencial

Segundo ele, o saneamento é essencial para a saúde humana e ambiental, como também para o desenvolvimento sustentável, para a dignidade humana e para o surgimento de novas oportunidades.

Ban afirmou que a falta de água limpa e saneamento têm um custo de US$ 260 bilhões de dólares, quase R$ 600 bilhões, aos países em desenvolvimento. Isso corresponde a 1,5% do Produto Interno Bruto, o PIB, dessas nações.

O chefe da ONU afirmou que, por outro lado, para cada dólar investido no setor pode trazer um retorno cinco vezes maior ao manter as pessoas saudáveis e produtivas.

Ele disse que quando as escolas oferecem banheiros decentes, há um aumento de 11% no seu uso pelas meninas. E ainda, as mulheres que têm acesso a toaletes reduzem o risco de qualquer tipo de agressão.

Progresso Lento

Apesar do argumento moral e econômico a favor do saneamento, Ban explicou que o progresso tem sido muito lento no setor.

Ban disse que por este motivo lançou o “Chamado para Ação pelo Saneamento” para tentar acabar com o problema das pessoas que fazem suas necessidades ao ar livre até 2025.

O chefe da ONU disse que ainda há um longo caminho para se alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio para reduzir pela metade a quantidade de pessoas que não têm acesso a saneamento básico.

Ele afirmou ser urgente aumentar os esforços para se atingir resultados tangíveis. Para Ban, as soluções não precisam ser caras ou baseadas em tecnologia.

Segundo ele, existem vários modelos que podem ser duplicados e acelerados. Para Ban, é necessário educar as comunidades em risco e mudar a percepção cultural de antigas práticas que não cabem no mundo moderno.

O Secretário-Geral afirmou que trabalhando juntos será possível melhorar a saúde e o bem estar de um terço da população global.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud