Acnur quer que países investiguem proibição da entrada de sírios na Europa
BR

15 novembro 2013

Agência da ONU cita relatos de nações que estariam impedindo o ingresso de refugiados em seus territórios; há relatos de casos na Bulgária, na Grécia, na Turquia e no Chipre.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, está preocupado com relatos de que alguns países europeus estariam impedindo a entrada de refugiados sírios em seus territórios.

A agência da ONU pediu aos governos da Bulgária, da Grécia, da Turquia e do Chipre que investiguem as denúncias de que as pessoas que buscam asilo estão sendo mandadas de volta ao país de origem ou países vizinhos.

Proteção das Pessoas

O Acnur quer que as nações mudem sua posição de proteção das fronteiras para proteção das pessoas.

Segundo o Alto Comissariado da ONU, barreiras ou medidas para impedir a entrada dos que solicitam asilo colocam essas pessoas sob “um risco maior e também um trauma adicional.”

O Acnur que saber das autoridades búlgaras sobre relatos de que 100 sírios foram proibidos de entrar no país no último fim de semana.

Além disso, o governo enviou mais de mil policiais, cercas e barreiras para reforçar a segurança na região de fronteira.

Destino

A situação é a mesma na Grécia e na Turquia. O Alto Comissariado pediu às autoridades gregas para investigar o destino de 150 refugiados sírios que tentaram entrar no país nesta semana.

O Acnur pediu uma moratória global nas ordens para enviar os refugiados sírios de volta aos países vizinhos. Para a agência da ONU, isso representa um gesto de solidariedade para com esses países que atualmente abrigam mais de 2,2 milhões de sírios.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud