Ao enviar apoio, ONU pede solidariedade com vítimas do tufão Haiyan

Ao enviar apoio, ONU pede solidariedade com vítimas do tufão Haiyan

Organização fala de cerca de 9,5 milhões afetados pela tempestade que provocou destruição generalizada e deslocamentos nas Filipinas; número de mortos sobe à medida que equipas de socorro chegam às zonas atingidas.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Secretário-Geral manifestou-se extremamente preocupado com o impacto do tufão Haiyan nas Filipinas, e pediu à comunidade internacional para continuar a demonstrar solidariedade para com as vítimas.

As Nações Unidas destacam que cerca de 9,8 milhões já foram afetados, além da “subida abrupta de mortos” à medida que as áreas remotas são alcançadas. 

Resposta

Localmente denominado tufão Yolanda, a tempestade é considerada uma das maiores ocorridas em terra firme. Agências noticiosas falam de mais de 10 mil mortos devido à tormenta, que assolou o país na manhã de sexta-feira.

Na nota, Ban cita a prontidão da resposta internacional com fundos bilaterais, equipas de socorro e apoios civis e militares.

Abrigos

Nesta segunda-feira, o Programa Mundial de Alimentação, PMA,  disse que 400 mil desalojados estão em abrigos, ao anunciar o envio de lotes incluindo suplementos alimentares terapêuticos para crianças.

Falando, de Genebra, a porta-voz da agência, Elisabeth Byrs disse que parte destes está em centros de evacuação. Sendo a prioridade fazer a entrega de comida, de água potável, de medicamentos e de abrigos.

Emergência

A Organização Mundial da Saúde, OMS, anunciou o envio de kits de emergência com medicamentos e suprimentos para cobrir as necessidades básicas de saúde de 120 mil pessoas num mês.

O lote também inclui suprimentos para realizar 400 intervenções cirúrgicas, além de kits para tratar doenças diarreicas e meios como medicamentos para tratar 3 mil casos.

Crianças

O Fundo da ONU para a Infância diz que é possivel que 4 milhões de crianças tenham sido afetadas. A agência enviou suprimentos adicionais para mais de 10 mil famílias no valor de US$ 1,3 milhões.

Para ilustrar as dificuldades de acesso humanitário devido ao bloqueio de estradas pelos escombros, o PMA disse que uma viagem de 11 km do aeroporto de Tacloban para o centro da cidade dura seis horas.

Saúde Pública

Para as regiões atingidas, a agência disse que segue apoio logístico, equipamento de comunicação e lonas, além de material de higiene para cerca de 13 mil famílias nas áreas afetadas.

A OMS disse que o contributo da agência inclui o reforço do alerta precoce e de rede de resposta para detetar rapidamente surtos e problemas de saúde pública relacionados aos alimentos e aos riscos ambientais.

Nos hospitais, operam equipas médicas coordenadas com o Governo e enviadas pela agência para repor armazéns de artigos médicos que foram danificados.