Investimento de US$ 200 milhões para mulheres e raparigas no Sahel

6 novembro 2013

Foco da ONU e do Banco Mundial é a saúde materna e reprodutiva feminina; preocupação é com número de mortes aliadas às taxas de fertilidade.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A região africana dos Grandes Lagos deve receber US$ 200 milhões a serem investidos num projeto regional para melhorar a saúde reprodutiva da mulher e educar a rapariga.

O anúncio do montante para a iniciativa “Call to Action”, ou “Chamada à Ação”, foi feito nesta terça-feira, em Niamey. A capital nigerina recebeu o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, e o presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim.

Futuro

A intenção é melhorar a resposta regional para questões ligadas à saúde materna e reprodutiva além de questões relativas às adolescentes.

O chefe da ONU disse que o plano de ação sobre o empoderamento e a demografia das mulheres “não tem simplesmente a ver com números mas também com as pessoas.”

Conforme referiu, mulheres e meninas dotadas com ferramentas para moldar o seu próprio futuro, podem avançar na promoção do desenvolvimento para todos.

Complicações

O presidente do Níger falou da necessidade de mais ações na área. Mahamadou Issoufou destacou “a morte de muitas crianças e mães devido a complicações de parto, aliadas à presença reduzida de meninas na escola secundária.”

O projeto prevê melhorar a disponibilidade e a acessibilidade aos produtos de saúde reprodutiva e reforçar centros especializados de formação em serviços de obstetrícia e enfermagem em áreas rurais.

Adolescentes

Uma série de experiências-piloto também estão previstas no plano, esperando-se que resultem na partilha de conhecimentos sobre as iniciativas de adolescentes.

Apesar de uma redução significativa da mortalidade infantil no Níger e na maioria dos países do Sahel, nos últimos anos, “continuam elevados os dados sobre a mortalidade materna e infantil e as taxas de fertilidade.”

Crescimento

De acordo com o Banco Mundial, os valores devem ser administrados pelo Fundo da ONU para a População, Unfpa. A agência defende que o aumento da idade do casamento no Sahel pode contribuir para o crescimento social e económico sustentado e inclusivo.

Outras medidas incluem reter as meninas na escola, habilitar mulheres em ações de planeamento para decidir o número e o espaçamento de filhos e investir na saúde e na educação dos jovens, principalmente das meninas.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud