ONU condena ataque na Nigéria que matou mais de 30 pessoas

ONU condena ataque na Nigéria que matou mais de 30 pessoas

Vítimas seguiam em vários carros para um casamento quando foram alvejadas; alta comissária para os Direitos Humanos classificou o ato de cobarde.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Escritório das Nações Unidas para os Direitos Humanos condenou esta terça-feira um ataque na Nigéria que matou mais de 30 pessoas. As vítimas eram convidadas de um casamento e seguiam para o evento numa caravana de carros.

A emboscada, no sábado, ocorreu numa estrada em Borno, próxima à fronteira da Nigéria com o Camarões. Segundo a ONU, o local é notório por ataques realizados pelo grupo Boko Haram.

Ponte

Durante a ação, quatro soldados também foram mortos e uma ponte que faz a ligação com a cidade de Mubi foi bombardeada.

Ao condenar a ação, a  porta-voz da alta comissária dos Direitos Humanos classificou de “cobardes” os “ataques do Boko Haram, que continuam a ter civis como alvo, incluindo estudantes, políticos, integrantes do governo e estrangeiros”.

Cécile Pouilly nota que ataques no nordeste da Nigéria ocorrem quase que diariamente, em especial no Borno e região. A porta-voz lembra que integrantes do “Boko Haram, se julgados pelos seus atos, podem ser considerados culpados de cometer crimes contra a humanidade”.

Escolas

Nos últimos meses, a milícia também realizou ataques contra escolas, tendo morto 48 estudantes e sete professores desde junho.

Pouilly destaca que o escritório está a acompanhar com as autoridades nigerianas alegações de abusos e de violações dos direitos humanos, que podem ter sido cometidas durante as operações.

Ela encerrou a pedir ao governo da Nigéria que assegure que as suas tropas ajam de acordo com a lei e evitem o uso excessivo da força.

*Apresentação: Denise Costa.