Promessa de novos fundos da comunidade internacional para o Sahel

4 novembro 2013

Início da visita de Secretário-Geral à região africana marcada com apelo para eliminação de problemas que inflamam conflitos e instabilidade; mais de 80 milhões devem beneficiar de apoios do Banco Mundial e da União Europeia.

Eleutério Guevane,  da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Banco Mundial e a União Europeia asseguraram, esta segunda-feira, novos investimentos para a região africana do Sahel. Os programas das nações da região devem ter US$ 1,5 mil milhões do órgão no próximo biénio, adicionados ao equivalente a US$ 6,75 mil milhões atribuídos pela União Europeia para os próximos sete anos.

O anúncio das medidas ocorre no âmbito da deslocação do Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, que lidera um grupo que inclui os líderes das duas entidades.

Crescimento 

A viagem, iniciada esta segunda-feira no Mali, tem o objetivo de fazer a “promoção do crescimento económico e tirar as pessoas da pobreza que assola o Sahel.”

O chefe da ONU destacou a necessidade do trabalho em conjunto e do investimento em governação, segurança, resiliência e oportunidade para as mulheres e jovens. A organização diz que pode, igualmente, apoiar o  deslocamento da região da fragilidade para a sustentabilidade.

O combate ao que chamou “fogos no Sahel” continua a ser crucial, aliado ao que Ban Ki-moon chamou de necessidade de eliminar problemas que inflamam os conflitos e a instabilidade.

Presidentes

A digressão envolve o Níger, o Burkina Faso e o Chade e aborda temas como a paz, a segurança e a resiliência.

A fazer o périplo estão o presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, o comissário da União Europeia para o Desenvolvimento, Andris Piebalgs , os presidentes da Comissão da União Africana, Nkosazana Dlamini Zuma e do Banco Africano de Desenvolvimento, Donald Kaberuka .

Efeitos

As prioridades para o montante atribuído pelo Banco Mundial são a rede de segurança social, a ajuda às famílias que sofrem os efeitos da adversidade económicas e os desastres naturais. Por outro lado, estão as infraestruturas e a criação de melhores oportunidades em áreas rurais.

Estão igualmente envolvidos programas plurinacionais de Tecnologia de Informação e de Comunicação, além da construção de hidrelétricas e outras fontes de energia limpa.

A intenção é expandir a irrigação e a transformação da agricultura e da pecuária para mais de 80 milhões de pessoas.

A União Europeia manifestou determinação em continuar e aumentar apoios aos Estados e aos povos do Sahel, tendo a segurança como pré-requisito para o crescimento.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud