Encontro global sobre economia verde será nos Emirados Árabes Unidos

Encontro global sobre economia verde será nos Emirados Árabes Unidos

Evento a decorrer em princípios de maio próximo junta centenas de líderes de alto nível; Pnuma quer discussão de “nova arquitetura global para a sustentabilidade.”

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, anunciou a realização da primeira conferência mundial sobre a Parceria para a Ação sobre Economia Verde nos Emirados Árabes Unidos.

Para sediar o evento da iniciativa, com a sigla Page, a agência refere que o país disponibilizou-se a agregar centenas de representantes governamentais e políticos de alto nível. A reunião decorre  de 4 a 5 de março de 2014.

Oportunidade

No âmbito do apoio, deve também ser financiada a participação de até 100 delegados de países de baixa renda. O objetivo da economia verde é reduzir os impactos ambientais negativos e a escassez ecológica causados pelo desenvolvimento.

A conferência é vista como uma oportunidade para rever o progresso na implementação do tipo de atividades no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza após a Cimeira Rio +20.

Arquitetura Global

O evento também deve discutir as possibilidades do contributo da economia verde para a agenda de desenvolvimento pós -2015, além do que o Pnuma chama “uma nova arquitetura global para a sustentabilidade.”

Os benefícios sociais para uma transição inclusiva para economias verdes também serão o foco do encontro, que pretende que a mudança seja mais ecológica e eficiente em termos de recursos.

Melhores Práticas

A parceria Page foi lançada no início deste ano, com o objetivo de garantir o apoio e a formação na implementação de políticas de economia verde e melhores práticas.

A iniciativa auxilia aos Estados participantes na criação de requisitos necessários, pondo à disposição investimentos e políticas : para o estabelecimento de uma nova geração de recursos.

Entre eles estão as tecnologias limpas, a infraestrutura eficiente dos recursos, os ecossistemas em bom funcionamento, a mão-de-obra ecológica qualificada e a boa governação.