Comitê sobre Desaparecimentos Forçados avalia casos da Argentina BR

Comitê sobre Desaparecimentos Forçados avalia casos da Argentina

Quinta sessão do grupo de direitos humanos começa esta segunda-feira, em Genebra; na reunião a portas fechadas, serão analisados relatórios do país sul-americano e também da Espanha.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

Começa nesta segunda-feira a quinta sessão do Comitê sobre Desaparecimentos Forçados ou Involuntários, na capital suíça, Genebra.

Neste primeiro dia de reunião a portas fechadas, será avaliado o relatório da Argentina. Também será feito um minuto de silêncio em memória às vítimas de desaparecimentos.

Familiares

Na terça e quarta-feiras, o grupo examina a situação da Espanha. O comitê organiza três sessões por ano, onde são revistos casos de desaparecimentos forçados em países.

O grupo de trabalho também debate alegações de desaparecimentos baseadas em informações de organizações não-governamentais. Nos primeiros dias de casa sessão, o comitê tem encontros com representantes de ONGs, com familiares dos desaparecidos e com integrantes de governos.

Convenção

Na quinta sessão do comitê também haverá uma discussão sobre desaparecimentos forçados e justiça militar. As reuniões terminam em 15 de novembro.

As atividades do grupo são reportadas ao Conselho de Direitos Humanos da ONU. O comitê é responsável por checar como os países implementam a Convenção Internacional para a Proteção de Pessoas.

Até o momento, 40 nações ratificaram a Convenção, incluindo o Brasil. Pelo acordo, nenhuma pessoa deve sofrer desaparecimento forçado, e guerras ou instabilidades políticas não podem ser usadas como justificativa para a prática.