Acaba fase de depoimentos no julgamento de líderes do Khmer Vermelho
BR

31 outubro 2013

Tribunal do Camboja deve chegar a um veredicto no primeiro semestre de 2014; Nuon Chea e Khieu Samphan estão sendo julgados por crimes contra a humanidade.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A Câmara Extraordinária do Tribunal do Camboja encerrou, esta quinta-feira, a fase dos argumentos finais no julgamento de dois ex-líderes do antigo regime do Khmer Vermelho, no país.

Os juízes vão entrar agora num período de deliberações e o veredicto deve sair no primeiro semestre de 2014, dois anos depois do início do caso.

Crimes Contra Humanidade

Nuon Chea, de 87 anos, e Khieu Samphan, de 82, são os dois últimos líderes do Khmer Vermelho ainda vivos. Eles estão sendo acusados de crimes contra a humanidade, mas negam as acusações.

Segundo a mídia internacional, acredita-se que 2 milhões de pessoas tenham sido mortas por causa das ações do regime nos anos 70.

Mais de 90 pessoas prestaram depoimento no julgamento, entre eles, testemunhas dos crimes, especialistas e médicos. O caso chamou a atenção do público, mais de 103 mil pessoas acompanharam as audiências no tribunal.

Pol Pot

Chea era vice-secretário do Partido Comunista e Samphan, líder do estado de Kampuchea. O líder máximo do Khmer Vermelho, Pol Pot, morreu em 1998.

O julgamento teve como foco os alegados crimes contra a humanidade relacionados à transferência forçada da população da capital Phnom Penh, para o campo, em abril de 1975.

Agência de notícias lembram que o tribunal foi criado em 2006 e até agora apenas uma pessoa foi condenada, Kaing Guek Eav. Ele era o chefe da prisão Tuol Sleng, onde milhares de prisioneiros foram mortos.

Eav foi condenado à prisão perpétua pelo seu envolvimento no comando da cadeia.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud