Unesco condena assassinato de cinegrafista em Honduras
BR

31 outubro 2013

Diretora-geral disse que ações deste tipo não podem ficar impunes; Irina Bokova pediu as autoridades hondurenhas que investiguem a morte de Manuel Murillo Varela.

Edgard Júnior, da Rádio ONU em Nova York.

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, condenou o assassinato do cinegrafista hondurenho Manuel Murillo Varela.

A diretora-geral Irina Bokova afirmou que crimes deste tipo não podem ficam impunes. Ela pediu às autoridades hondurenhas que investiguem o assassinato e levem os responsáveis à justiça.

Ele foi encontrado morto, baleado, na semana passada, na capital do país, Tegucigalpa.

Proteção Policial

Varela, de 32 anos, era cinegrafista oficial de várias autoridades e trabalhava para uma emissora de TV local.

Segundo a ONG Ifex, que defende a liberdade de expressão, ele tinha sido sequestrado e torturado, em 2010, por homens que queriam imagens gravadas pelo cinegrafista.

A partir dessa época, Varela sempre contou com proteção especial da polícia.

Segundo a Unesco, Manuel Murillo Varela é o oitavo jornalista hondurenho assassinado desde 2012.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud