PMA alerta para ‘pior situação alimentar desde 2009’ no Zimbabué

29 outubro 2013

Agência diz que colheita de milho não chegou à metade das necessidades anuais em torno dos 2,1 milhões; preços dos cereais subiram em quase um quarto desde 2012.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Programa Mundial de Alimentação, PMA, alertou, esta terça-feira, para o agravamento da situação de segurança alimentar no Zimbabué ao classificar como a pior desde 2009.

Em nota, a agência confirma que 2,2 milhões de pessoas vão precisar de ajuda entre janeiro e março de 2014. A colheita de milho foi inferior ao milhão de toneladas do ano passado, no país que precisa anualmente de 2,1 milhões.

Colheita

O PMA lança, este mês, um programa para as áreas mais afetadas, que deve ser ampliado ao longo dos próximos meses.

Nas áreas rurais, estima-se que um quarto da população esteja a precisar de ajuda alimentar, no período anterior às colheitas do início do próximo ano.

Apoio

As condições meteorológicas, os preços altos e  a indisponibilidade de fertilizantes e sementes, aliados às previsões de novos aumentos, com as fracas colheitas ditaram os níveis de insegurança alimentar.

De acordo com o PMA, os preços dos cereais estão atualmente 23% acima dos níveis do ano passado.

O Governo zimbabueano pediu apoio internacional com vista ao auxílio alimentar para atender às necessidades crescentes.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud