Estados Unidos e Caribe lembram um ano da passagem do furacão Sandy
BR

29 outubro 2013

Em comunicado, Nações Unidas pedem para que vítimas não sejam esquecidas; somente em Nova York, Sandy causou perdas de mais de US$ 18 bilhões.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

As Nações Unidas lembram um ano da passagem do furacão Sandy pelos Estados Unidos e pelo Caribe pedindo que as vítimas não sejam esquecidas.

Um dos diretores do Programa da ONU para o Desenvolvimento, Pnud, Heraldo Muñoz, destacou que a cidade de Nova York foi a última parada do furacão que antes atravessou Bahamas, Cuba, República Dominicana, Haiti e Jamaica.

Rapidez

Somente em Nova York, o furacão Sandy causou prejuízos de US$ 18 bilhões, equivalentes a mais de R$ 36 bilhões.

Para o Pnud, apesar dos trabalhos de reconstrução nos últimos 12 meses, muitas vítimas no Caribe continuam sofrendo os efeitos do desastre.

O coordenador para Recuperação e Redução de Riscos de Desastre do Pnud, Jo Scheuer, afirmou que a precariedade sócio-econômica das pessoas em países em desenvolvimento não permite que elas reconstruam com a mesma rapidez.

Assistência

Scheuer lembrou ainda que, em termos comparativos, em Cuba e no Haiti, o furacão Sandy causou mais perdas para a economia local com efeitos profundos sobre o Produto Interno Bruto desses países.

No Haiti, o furacão agravou ainda mais os efeitos do terremoto de 2010.

Somente em Cuba, 300 mil casas foram danificadas afetando 3 milhões de pessoas. Hoje, um ano depois, programas de assistência como uma iniciativa de US$ 6 milhões do Pnud ajudaram a reconstruir a metade das casas em Santiago de Cuba, destruídas pelo furacão.

Sandy atravessou Cuba na madrugada de 24 de outubro do ano passado como um furacão de categoria 3 com ventos de até 175 km/h.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud