ONU condena morte de 19 iraquianos com explosivos improvisados

28 outubro 2013

Neste ano, engenhos mataram mais de 800 e fizeram o dobro de feridos no país; Missão da ONU no país diz que 16 mulheres e crianças estão entre os que perderam a vida neste domingo.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

A Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão, Unama, condenou, esta segunda-feira, o ataque que matou 19 civis que viajavam num miniautocarro na província sul-oriental de Ghazni.

Uma nota da agência refere que 16 mulheres e crianças estavam entre os mortos neste domingo, quando um engenho explosivo improvisado foi detonado no distrito de Andar. Outras quatro mulheres sofreram ferimentos graves.

Aumento

O representante do Secretário Geral no país, Jan Kubis,  disse que o acontecimento destaca o “trágico aumento do número de mortes de civis devido ao uso do tipo de explosivos no Afeganistão.” O também chefe da missão da ONU pediu a cessação do uso indiscriminado do armamento.

Após endereçar condolências às famílias dos que perderam a vida no ataque e a rápida recuperação dos feridos, o chefe da missão informou que os dispositivos matam e ferem mais civis do que qualquer outra tática de conflito armado do país.

Crimes de Guerra

Entre 1 de janeiro a 27 de outubro deste ano, a Unama contabilizou 828 mortos e outros 1,6 mil civis feridos,  no que correspondem a mais de um terço das mortes no conflito.

A missão ressalta que o uso indiscriminado e desproporcional dos dispositivos pode ser considerado crime de guerra.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud