TPI estabelece condições para dispensar vice-presidente queniano

25 outubro 2013

Comunicado sublinha que ausência do réu poderá ser estudada caso a caso e limitada ao estritamente necessário; William Ruto é julgado por alegado papel na violência pós-eleitoral de 2007 e 2008.

Eleuterio Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Tribunal Penal Internacional, TPI, anunciou, esta sexta-feira, que o vice-presidente queniano, William Ruto, deve comparecer à maioria das audiências do seu julgamento por acusações de crimes contra a humanidade.

Nesta sexta-feira, o órgão baseado em Haia, disse que a dispensa do réu pode ser alvo de consideração caso a caso. Ruto nega responsabilidade pela violência pós-eleitoral ocorrida em 2007 e 2008, que causou pelo menos 1,2 mil mortos e cerca de 600 mil desabrigados.

Centro Comercial

Uma nota do órgão refere que este deverá requerer ausência de algumas audiências do caso, que só poderá ser permitida quando for absolutamente necessário.

A medida resulta da análise do recurso submetido pela procuradoria a 18 de junho contra uma decisão anterior dos juízes que previa que Ruto pudesse passar grande parte do seu tempo no Quénia.

Há um mês, os advogados do vice-presidente queniano argumentaram que a sua presença no país era necessária, após o ataque de milícias islamitas a um centro comercial da capital, Nairobi. Agências noticiosas referem que pelo menos 67 pessoas foram mortas no incidente.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud