Estudo diz que poluição do ar é causadora do cancro

17 outubro 2013

Agência Internacional para o Estudo da doença prevê que mundo possa atingir 25 milhões de casos nos próximos 20 anos; registados 223 mil casos do cancro do pulmão devido à poluição do ar em 2010.

Eleutério Guevane, Rádio ONU em Nova Iorque.

Um novo estudo defende que partículas emitidas devido à poluição do ar são a principal causa ambiental de doenças cancerígenas.

O trabalho, apresentado pela Agência Internacional para Pesquisa do Cancro, Iarc, diz haver provas suficientes de que a exposição à poluição do ar causa o cancro do pulmão. Foi também identificada uma associação positiva com o cancro da bexiga.

População

A entidade associada à Organização Mundial da Saúde, OMS, prevê que, em todo o mundo, o número de casos da doença possa chegar a 25 milhões nos próximos 20 anos. A maioria deve ocorrer nos países em desenvolvimento.

A Rádio ONU conversou com médica da OMS, Regina Ungerer, de Genebra, que aconselhou que as populações estejam mais alerta apesar de  não puderem interferir diretamente na questão da qualidade do ar.

Regulamentação

“O que se pode fazer é onde os indivíduos podem interferir, solicitando e demandado dos próprios governantes e das indústrias que emitem esse tipo de partículas, que se controle mais a sua quantidade por metro cúbico de ar ou que, na eventualidade de estar muito acima, que elas tenham que fechar as suas portas por um tempo. Existem alguns processos que estão relacionados com a regulamentação”, disse.

O nível de exposição à poluição do ar tem aumentado significativamente em algumas partes do mundo, revela o estudo. Os números mais altos são particularmente registados em nações “em rápida industrialização, com grandes populações.”

Riscos

Em 2010, o mundo registou 223 mil casos de mortes por canco de pulmão resultantes da poluição do ar. O problema já era conhecido por aumentar os riscos de várias doenças, tais como as respiratórias e do coração.

Os maiores vilões para o tipo de poluição são o transporte, a geração estacionária de energia, as emissões industriais e agrícolas, cozinha e o aquecimento residencial.

Sinal

O diretor do Iarc,  Christopher Wild, disse que a classificação da poluição do ar como cancerígena para os seres humanos é um passo importante.

Como revelou, há formas eficazes para reduzi-la dada à escala da exposição que afeta as pessoas em todo o mundo, realçando que o relatório deve enviar um sinal forte para a tomada de medidas sem demora.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud