Insegurança alimentar afeta 75% de malianos no norte, alerta PMA

4 outubro 2013

Necessidades de auxílio alimentar até o fim do próximo ano rondam os US$ 67 milhões; região foi a mais assolada pelo conflito entre forças governamentais e rebeldes islamitas no ano passado.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

O Programa Mundial da Alimentação, PMA, alertou, esta sexta-feira, para o facto de três em cada quatro malianos estarem afetados pela insegurança alimentar no norte do país.

A região foi a mais assolada pelo conflito que opôs forças governamentais e rebeldes islamitas desde janeiro de 2012. No princípio deste ano, as autoridades malianas pediram o apoio de forças francesas para a operação militar que resultou na recuperação das cidades do norte.

Necessidades

A agência da ONU refere que a região tem cerca de 1,3 milhão de pessoas a precisar de assistência alimentar, até o final do próximo ano. As necessidades estão orçadas em cerca de US$ 67 milhões.

O PMA aponta ainda a existência de dificuldades de acesso das agências humanitárias, especialmente para a região de Kidal. Em Gao, a desnutrição entre as crianças manteve o pico de 3,5%, com cerca de 22 mil crianças afetadas. 

Acolhimento

Entretanto, a Organização Internacional para Migrações, OIM,  anunciou que avalia as necessidades da população deslocada, dos retornados e das comunidades de acolhimento em 109 aldeias nortenhas.

O estudo visa identificar a população afetada, após a ocupação da área pelos grupos armados. A crise levou à deslocação de mais de 517 mil pessoas, incluindo 333 mil deslocados internos e mais de 175 mil refugiados.

*Apresentação: Denise Costa.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud