Acnur chocado com naufrágio que matou cerca de 130 migrantes na Itália
BR

3 outubro 2013

Embarcação transportava mais de 500 pessoas, a maioria da Eritreia; em comunicado, alto comissário António Guterres elogiou rápida ação da polícia costeira italiana.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, expressou choque com o acidente com um barco que transportava mais de 500 migrantes da África para a Itália.

Segundo o Acnur pelo menos 130 pessoas morreram quando a embarcação afundou perto da ilha de Lampedusa. A maioria dos migrantes era da Eritreia.

Meia Milha

Mais de 150 passageiros foram resgatados do mar pela guarda costeira italiana, mas centenas de migrantes continuam desaparecidos.

Segundo o prefeito de Lampedusa, o barco, que saiu da Líbia, pegou fogo a meia milha da costa.

O porta-voz do Acnur, Adrian Edwards, disse que a guarda costeira italiana afirmou que ainda há um grande número de pessoas desaparecidas. O porta-voz disse ainda que o naufrágio parece ser mais uma tragédia ocorrida no Mediterrâneo.

Edwards contou que a Eritreia é um dos três países com o maior número de pessoas que tentam entrar na Europa fazendo o mesmo caminho.

Segundo o Acnur, o outro país é a Síria, onde um grande número de pessoas tenta fugir da violência. Somente de janeiro a setembro deste ano, cerca de 32 mil pessoas chegaram à Itália e a Malta pelo mar.

O naufrágio desta quinta-feira é o segundo incidente nesta semana no litoral italiano.

Na segunda-feira, 13 homens morreram afogados no sul do país após saltarem de uma embarcação que estava afundando. 

O alto comissário para refugiados, António Guterres, disse que está chocado com mais uma tragédia. Segundo ele, é desalentador observar o aumento do fenômeno global de migração. Ele lembrou que pessoas que fogem de conflitos e perseguições acabam morrendo no mar.

O Acnur elogiou a rápida resposta da polícia costeira italiana que conseguiu resgatar mais de 150 vítimas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud