Em setembro, Bagdad foi a mais afetada pela violência no Iraque

Em setembro, Bagdad foi a mais afetada pela violência no Iraque

Número de mortos totaliza 979; missão da ONU aponta que motivos foram “atos de terrorismo e de violência”; representante pede promoção de diálogo e da reconciliação nacional.

Leda Letra, da Rádio ONU em Nova Iorque.*

A capital iraquiana, Bagdad registou mais baixas devido à violência, com mais de 1,4 mil civis mortos ou feridos em setembro. Dados da Missão da ONU de Assistência ao Iraque, Unami, apontam para 979 mortes em todo o país.

Devido ao que se consideram “atos de terrorismo e de violência” outras 2,133 pessoas ficaram feridas em locais que, em termos de gravidade, são destacados os distritos de Ninewa, Diyala, Salahuddin e Anbar.

Forças Armas

O balanço da violência destaca que os civis foram a maioria das vítimas com 887 assassinatos, incluindo 127 polícias civis e 1,957 feridos.

Os dados indicam 92 mortes entre elementos das Forças Armadas Iraquianas além de 176 ferimentos.

Reconciliação

O representante especial da ONU para o Iraque, Nickolay Mladenov, disse que “enquanto os terroristas continuam a atacar indiscriminadamente os iraquianos, é necessário aumentar os esforços de promoção do diálogo e de reconciliação nacional”.

O chefe da Unami pede a líderes políticos, religiosos e civis e aos serviços de segurança que “trabalhem juntos para acabar com o banho de sangue e para garantir que todos os cidadãos sintam-se igualmente protegidos”.

*Apresentação: Eleutério Guevane