OMS traça plano para melhorar saúde das pessoas com deficiência
BR

20 setembro 2013

Segundo as Nações Unidas, mais de 1 bilhão de pessoas vivem na situação; agência da ONU pede melhores serviços e oportunidades para esta faixa da população.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova York.*

A Organização Mundial da Saúde, OMS, anunciou, esta sexta-feira, que trabalha num novo plano de sete anos para melhorar a saúde e o bem-estar das pessoas com deficiência.

A agência calcula que mais de 1 bilhão de pessoas vivam nesta situação em todo o mundo. O número equivale a um em cada sete habitantes do planeta. 

Falando à Rádio ONU, em Nova Iorque, antes da reunião, o primeiro juiz cego brasileiro, Ricardo Tadeu da Fonseca, abordou obstáculos frequentemente enfrentados pelas pessoas com deficiência.

“As barreiras arquitetônicas são uma expressão da barreira atitudinal. Há também barreiras tecnológicas que devem rompidas. As pessoas cegas, por exemplo se tiverem computador adequado conseguem, no computador, trabalhar como qualquer pessoa. As pessoas surdas têm, basicamente, a barreira linguística e então para elas seria importante ter a língua de sinais, legendas nos filmes e nos teatros”, disse.

Necessidades

A OMS diz que as pessoas com deficiências têm as mesmas necessidades de saúde que as pessoas que não têm qualquer tipo de deficiência, como por exemplo, imunização, exames para detectar câncer e serviços de saúde reprodutiva.

O plano cita ainda que essas pessoas com deficiência podem ter condições de saúde específicas incluem úlceras, infecções urinárias, paralisia e depressão associada com a lesão da medula espinhal.

Recuperação

Além disso, muitas pessoas com deficiência precisam de reabilitação para recuperar a força e os movimentos após ficarem internadas em coma diabético ou para a colocação de uma prótese depois de amputarem algum membro.

Até outubro, o documento estará em consultas antes de ser apresentado, em Genebra, no Conselho Executivo da OMS em janeiro de 2014.

Acesso

Nesta sexta-feira, OMS saudou um acordo que deve marcar o fim da reunião da Assembleia Geral sobre a melhoria do acesso aos cuidados de saúde e serviços relacionados a pessoas com deficiência.

O objetivo do primeiro evento que junta chefes de Estado em torno do tema, nesta segunda-feira, inclui garantir uma contribuição maior de pessoas do grupo para o desenvolvimento sustentável.

Despesas

Segundo a OMS, metade das pessoas com deficiência em todo o mundo não tem condições de pagar pelos cuidados de saúde que necessitam.

A OMS diz que 360 milhões de pessoas sofrem de perda auditiva moderada a profunda, mas a produção dos aparelhos de surdez atende a apenas 10% da necessidade global. No caso dos países em desenvolvimento, somente 3% são beneficiados.

Cadeira de Rodas

Além disso,  200 milhões de pessoas não têm acesso a óculos e dos 70 milhões que precisam de uma cadeira de rodas, entre 5 e 15% conseguem o aparelho.

A intenção da OMS é incluir as pessoas com Deficiência no ambiente comum e implementar a agenda de desenvolvimento pós-2015.

A agência da ONU quer abordar as barreiras enfrentadas pelo grupo no dia a dia e tomar medidas urgentes para beneficiar os deficientes nas políticas de desenvolvimento .

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud