Uganda: Acnur busca mais US$ 21,4 milhões para refugiados da RD Congo

Uganda: Acnur busca mais US$ 21,4 milhões para refugiados da RD Congo

Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados disse que dinheiro será usado para cobrir operações até o final do ano; mais de 290 mil pessoas fugiram da República Democrática do Congo desde janeiro de 2012; Uganda fornece abrigo a mais de 170 mil refugiados.

Eleutério Guevane, da Rádio ONU em Nova Iorque.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados quer mais US$ 21,4 milhões para ajudar milhares de pessoas que fugiram da República Democrática do Congo, RD Congo, para o Uganda devido à violência.

Segundo o Acnur, a RD Congo tem atualmente 2,6 milhões de deslocados internos. O número de refugiados ultrapassa 290 mil, com o Uganda a abrigar a grande maioria estimada em mais de 170 mil.

Operações

O Alto Comissariado informou que o dinheiro vai ser usado para cobrir as operações de assistência no Uganda até o fim do ano. Incluindo esse pedido adicional, o Acnur precisa de um total de US$ 43,7 milhões, mas até ao momento conseguiu apenas 28% do montante.

Desde o início de 2012, milhares de refugiados congoleses têm fugido da violência e dos confrontos na província do Kivu Norte.

O movimento aumentou em julho, quando os rebeldes das Forças Democráticas Aliadas, que tem base no Uganda e actuam na RD Congo, atacou a cidade de Kamango, causando a saída dos moradores.

Confrontos

O Acnur afirma que a situação está mais ou menos estabilizada neste momento. Mais ao sul, em Goma, a agência da ONU diz que continuam os confrontos armados entre grupos rebeldes e o exército congolês, que tem o apoio da Brigada de Intervenção das Nações Unidas.

O Alto Comissariado da ONU referiu que ajudou a criar um centro de trânsito em Bubukwanga, no Uganda, para prestar assistência aos refugiados da RD Congo.

Além disso, o Acnur trabalha para fornecer a essas pessoas moradia, água potável e comida, como também, serviços de saúde, saneamento básico e de educação.